30 de novembro de 2009

Time australiano de rugby entra em campanha contra homofobia

Al Baxter

Membros do time australiano de rugby Wallabies entraram de cabeça em um projeto online de combate à homofobia e à discriminação, chamado This Is Oz.

Os moços saradíssimos postaram na web fotos em que aparecem com cartazes de apoio à diversidade no esporte e incentivando outros times esportivos a receberem atletas assumidamente Gays numa boa.

Falando contra todo e qualquer estereótipo, um dos jogadores foi fotografado com uma placa onde se lê "Todo mundo merece uma chance de ser feliz. Levante-se contra a homofobia".

A ideia dos rapazes foi se solidarizar com o Sydney Convicts, time de rugby Gay australiano.

Andrew Purchas, fundador do Sydney Convicts, comemorou o apoio do Wallabies: "Ter atletas deste nível profissional nos apoiando quebra barreiras e promove a diversidade e tolerância".

Empresa cria linha de vinhos voltada para Homossexuais


Produtos voltados para Homossexuais estão em alta. Hoje já existem agência de viagens, casas noturnas, bancos e até lojas de roupas de casamento voltadas para este público.

Fabricantes de vinhos também estão de olho no mercado. A vinícola espanhola UO! Wines criou uma linha especialmente para homens Gays.

A embalagem e a descrição do sabor da bebida foram pensadas para agradá-los. O Antinoo, por exemplo, é descrito como um vinho suave.

Na página da empresa há dicas de como degustá-lo. "Ao provar, feche os olhos e imagine que está lambendo um doce líquido derramado sobre o corpo do seu parceiro", ensina o produtor. As garrafas são estampadas com fotos de homens em poses sensuais.

Sobre a estratégia de marketing da vinícola, que remete bebida ao prazer, a UO! afirma que o objetivo é ser direto, mas com criatividade. "Desde o momento que o cliente vê o produto na prateleira, nós queremos assegurar que a garrafa fala mais que o conteúdo. Ela tem a ver com a personalidade do consumidor, com atitude dele e vai além de uma simples bebida".

ENTLAIDS promove Encontro Nacional de Travestis e Transexuais


Travestis e Transexuais do Brasil discutem identidade e políticas públicas no Rio de Janeiro de 06 a 11 de dezembro, durante o 16º Entlaids no Hotel Golden Park - Glória.

“Muito prazer, eu existo!”. Com este slogan, duzentos ativistas das cinco regiões do país se reúnem no 16º Encontro Nacional de Travestis e Transexuais (Entlaids) para discutir temas como utilização do nome social em documentos pessoais e políticas públicas em diferentes áreas, com o objetivo de assegurar a cidadania plena dessa parcela da população.

Pela primeira vez na história do país, as TTs unificarão discurso de como querem ser enxergadas e respeitadas. Durante o evento, que é deliberativo, elas construirão finalmente o conceito do que é ser uma Travesti e uma Transexual.

A 16ª edição do encontro, coordenada pela Astra-Rio (Associação de Travestis e Transexuais do Rio de Janeiro), acontece no Hotel Golden Park (Rua do Russel, 374 – Glória) e receberá autoridades governamentais, como o Governador Sérgio Cabral, o prefeito Eduardo Paes, secretários municipais e estaduais, além de acadêmicos e ativistas do Movimento GLBT em geral.

A atriz Carolina Ferraz e o estilista Carlos Tufvesson são os padrinhos do evento. “Fui batizado militante na pia da Astra-Rio. Tenho um carinho imenso por essas meninas”, orgulha-se Tufvesson.

Para a presidente da Astra-Rio, Majorie Marchi “é um desafio para nossa associação organizar na Cidade Maravilhosa o maior e mais importante evento nacional voltado para Travestis e Transexuais. É um importante momento de protagonismo para nós, justamente porque temos urgência em debater temas como trabalho, educação, segurança, renda, emprego, gênero e saúde. No Brasil, há poucas políticas que atendam as demandas da nossa realidade porque nossos governantes se baseiam em estudos internacionais que não condizem com que nós TTs vivenciamos no dia-a-dia em nosso país”, esclarece.

A coordenadora do Entlaids ainda sinaliza que durante o encontro será apresentada uma proposta de se ter um processo Travestilizador para o Sistema Único de Sáude.

Atualmente, o SUS já realiza um processo Transexualizador (administração de hormônios antes da cirurgia, acompanhamento anual das taxas hormonais e por dois anos antes e após a cirurgia de transgenitalização por equipe multidisciplinar apenas para mulheres-Trans).

Almejando o reconhecimento da identidade Travesti a partir de políticas públicas específicas, a proposta prevê ações como terapia com hormônios. Isso reduziria o uso de silicone líquido, utilizado para modelar o corpo, diminuindo, também, o risco de morte pelo uso da substância.

Também será discutido o aumento do número de cirurgias de transgenitalização, bem como o acesso de Transexuais masculinos (homens-Trans) às políticas de saúde, que não são contemplados atualmente pelo SUS.

Além de mesas de debates, oficinas de cidadania (elaboração de projetos, advocacy e organização institucional) e rodas de conversa, haverá show com Ângela Leclery e projeção de vídeos sobre o tema nos intervalos. Por fim, as TTs elegerão a cidade-sede do Entlaids do próximo ano.

O evento conta com o patrocínio do Governo Federal (através do Programa Nacional de DST e Aids do Ministério da Saúde e da Secretaria Especial de Direitos Humanos/PR); do Governo do Estado do Rio de Janeiro (através da Superintendência de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos e da Secretaria de Saúde e Defesa Civil); da Prefeitura do Rio (através das Secretarias de Turismo, Saúde e Assistência Social); e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD/ONU); além do apoio da Articulação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra) e da PACT Brasil.

16º ENTLAIDS – Encontro Nacional de Travestis e Transexuais
Data: 06 a 11 de dezembro de 2009
Local: Hotel Golden Park - Rua do Russel, 374 – Glória
Contato: (21) 4104-0927 (21) 8278-2633
Email:
astra.rio@gmail.com

Justiça de 9 Estados e do DF já reconhece União Homossexual


Apesar de ainda não existir oficialmente no Brasil, a união estável entre pessoas do mesmo sexo já foi reconhecida pela Justiça de nove Estados e do DF, segundo levantamento feito nos Tribunais de Justiça.

Essas decisões veem a união de Gays e de Lésbicas como uma família, o que ainda é bastante controverso no país, pois não existe legislação específica.

Essa situação pode mudar após a aguardada manifestação do Supremo Tribunal Federal sobre a questão. O STF foi provocado a se posicionar no ano passado, pelo governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB).

Ele entrou com ação pedindo que a união estável de pessoas do mesmo sexo tenha valor igual ao de uma união heterossexual.

Enquanto não há uma regra clara, fica a cargo de cada magistrado interpretar se a legislação permite ou não a união.

Na maioria dos Estados, a Justiça reconhece o casal Gay como uma sociedade de fato e os trata não como uma família, mas como um negócio.

O Movimento Gay defende justamente que os casais tenham o status de família e, por isso, pressiona o Supremo e o Congresso Nacional a mudarem as regras.

A reportagem encontrou pelo menos uma sentença favorável em primeira ou segunda instância em São Paulo, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Distrito Federal, Goiás, Acre, Piauí, Mato Grosso e Alagoas.

Os demais Estados não têm decisões favoráveis ou declararam não ter registro de julgamentos nesse tipo de questão.

Um dos Estados pioneiros foi o Rio Grande do Sul, onde surgiu o termo "União Homoafetiva" para designar a relação entre pessoas do mesmo sexo.

Girafa e avestruz protagonizam romance Lésbico na Flórida

Bea e Wilma

O zoológico do parque Busch Gardens, na Flórida, está nas manchetes de todo o mundo graças à relação incomum entre uma girafa e uma avestruz.

A pescoçuda Bea e a penosa Wilma estão chamando atenção dos tratadores e visitantes com uma amizade inseparável. As duas não se desgrudam e passam o dia trocando carícias.

Como os dois animais são do sexo feminino, o caso já vem sido tratado como o primeiro amor Lésbico interespécie de que se tem notícia nos EUA.

Lésbica e Travesti terão filho juntas em "Ó Paí, Ó"

Bebê, Neuzão e Yolanda

Será exibida nesta sexta-feira, 04/12, na série “Ó Paí, Ó”, da TV Globo, a cena em que a Travesti Yolanda (lyu Arison) decide ter um filho com a comerciante Lésbica Neuzão da Rocha (Tânia Toko).

“O grande desfecho de Neuzão e Yolanda será esse filho. Neuzão será convencida por Yolanda a sair com um cara. Mas Neuzão não vai conseguir e acabará rolando um clima entre as duas.

No episódio que vai encerrar a série, na semana que vem, a menstruação de Neuzão vai atrasar. E elas irão juntas fazer o exame. O resultado será positivo”, contou a atriz Tânia Toko em entrevista.

Para a atriz, é “importante mostrar na TV as diversas formas de se amar”. “Por incrível que pareça, a sociedade ainda é muito preconceituosa. Há coisas, como amor e família, que são negadas às pessoas que não se encaixam nas convenções sociais vigentes. Acho que, por isso, o episódio será polêmico”, disse Toko.

“Ó Paí, Ó” vai ao ar logo após o “Globo Repórter”.

Folhateen fala sobre meninas que descobriram que seu ex é Gay


O Folhateen dessa semana, suplemento do jornal Folha de São Paulo, traz uma reportagem bem interessante sobre uma das fases que quase todo Gay já passou. A saída do armário para a, até então, namorada.

Intitulada "Meu Ex é Gay", a matéria mostra diversos casos de meninas que descobriram após o término, ou durante o namoro, que seu ex gostava mesmo é de meninos.

Segundo o psicólogo da USP, Thiago de Almeida, ouvido pela reportagem, "é comum que essa descoberta role na adolescência. É nessa época que se tem os primeiros relacionamentos profundos, que ajudam na definição", disse.

Um dos casos mais comuns é de rapazes que namoraram garotas para tentar passar uma falsa heterossexualidade para os amigos e familiares. Foi o que aconteceu com Léa. Seu ex, que amava em segredo Juca, chegou a manter dois relacionamentos.

"O pior foi não ter sido a primeira a saber. Ele me contou depois de se assumir para a mãe!", disse a garota, que ainda guarda mágoas, mas não por ter sido traída por um homem ("Acontece..."), e sim de "ter servido para ninguém da turma desconfiar".

Por fim, se você está numa situação parecida, namorando uma garota mas afim mesmo é dos amigos dela, a reportagem assinada por Chico Felitti dá dicas de como contar que é Gay, sugeridas pelos psicólogos Klecius Borges e Thiago de Almeida. São elas:

- Esteja bem resolvido sobre o que vai dizer. E sobre como vai dizer.
- Seja seguro no diálogo, não deixe sua parceira mudar de assunto.
- Conte de maneira amorosa, para magoar menos.
- O quanto antes você contar, menor o sofrimento da sua parceira.
- Dê tempo para a parceira "digerir" a informação.
- Considere que a outra pessoa pode ficar machucada, por mais que não seja a sua intenção.

Reino Unido financia diversos projetos Gays em países homofóbicos

Chris Bryant

O ministro do escritório de relações exteriores do Reino Unido, Chris Bryant, está capitaneando um fundo para apoiar ativistas Gays que vivem em locais governados por regimes homofóbicos.

As missões britânicas em países como a Jamaica, onde a Homossexualidade é punida com longos períodos de encarceramento, e a Nigéria, onde a pena de morte pode ser aplicada, estão sendo encorajadas a apoiar o progresso, financiando Paradas do Orgulho Gay e disputas judiciais locais.

Ao mesmo tempo, nos países da Comunidade Europeia, a "democracia rosa" estenderá suas ações para a Europa Oriental, onde Gays têm sofrido ataques brutais cometidos por integrantes da extrema-direita.

Alternativas para tentar barrar a discriminação em nações ultra-conservadoras, como o Irã, também estão sendo consideradas, ainda com muito cuidado.

Bryant, Gay assumido e que tem 47 anos, disse: "A decisão de aderir a esse movimento é completamente pessoal em nossas embaixadas e consulados ao redor do mundo. Nós encorajamos este trabalho importante porque é baseado em valores britânicos como o 'fair play' e o princípio de proteção da liberdade do indivíduo. Não somos ingênuos acerca deste trabalho. Em alguns lugares, regimes opressivos tornam alguns trabalhos ainda mais difíceis".

O ministro tem citado, agradecido, um exemplo de como esse trabalho pode acontecer. Robin Barnett, embaixador britânico em Bucareste, está viabilizando uma marcha em favor dos direitos Homossexuais na Romênia.

Um estudo recente da União Europeia mostra a Romênia como o país mais homofóbico da região. O ministério enviou um relatório para seus escritórios citando apoio financeiro para aqueles países que entrarem na iniciativa.

O relatório cita Colômbia, Egito, Iraque, Jamaica, Nigéria e Usbequistão como países de "particular interesse".

Transexual se casa na pequena cidade de Saloá - PE

José Ricardo Rocha e Paloma

Com 15 mil habitantes e a 262 quilômetros do Recife, a pequena Saloá, no agreste de Pernambuco, viu um casamento raro se realizar. Foi a união da cabeleireira Paloma, 26, com o ajudante de pedreiro José Ricardo Rocha, 18. Paloma é Transexual e se veste de mulher desde a adolescência.

Com cerimônia, bolo, troca de alianças, brinde e tudo mais que um casamento tradicional tem, a união do casal irritou parte da população da cidade que é evangélica de diferentes congregações.

"Não podemos aceitar essas coisas" disse o pastor Severino Lopes, da Assembleia de Deus, em entrevista.

Pelo menos 300 pessoas abraçaram os noivos e participaram da festa de casamento no Centro de Convivência de Idosos. O casal gastou R$ 1.700,00 no enlace e fez a festa dos convidados com seis grades de cerveja, 12 litros de rum Montilla e sete litros de conhaque Dreher.

Paloma usou um tradicional vestido de noiva e José Ricardo um tradicional traje de gala. A cerimônia foi presidida por Luiz Gonzaga da Silva, da vizinha cidade de Caetés, onde é conhecido como Lula Padre da igreja Ortodoxa Bielo-Russa, capaz de casar qualquer pessoa.

Em quatro meses, Paloma e José Ricardo namoraram, noivaram e casaram. Ela vinha de um relacionamento de quatro anos e seis meses. "Era meu sonho. Pensei e disse: já que você quer, também quero. E aceitei" contou sobre o pedido de José Ricardo.

O casamento concorreu com a visita do Governador Eduardo Campos a Saloá, no dia 21 de novembro, mas nem por isso o enlace perdeu o brilho e a animação ao som da banda Espora de Prata.

A união ganhou até o apoio do prefeito do município, Gilvan Pereira (PSB). "Hoje em dia isso está mais comum. Várias pessoas procedem dessa maneira" disse Pereira.


Justiça autoriza Homossexual a adotar sobrenome do companheiro


A 2ª Vara de Registro Público de São Paulo julgou, no dia 30/11, procedente o pedido de um casal Gay para usar sobrenome comum. Em sua decisão, o juiz do caso, Guilherme Madeira Dezem, alega que além da dignidade da pessoa, também entende “que a União Homoafetiva efetivamente caracteriza-se como família”.

Ricardo Marcondes Monteiro Tcholakian queria que seu companheiro, Silvio Marcos Lopes, pudesse acrescentar seu “Tcholakian” ao fim do nome dele.

O pedido chegou a ser contestado pelo Ministério Público de São Paulo sob a alegação, em síntese, de que não havia amparo legal que reconhecesse as uniões entre pessoas do mesmo sexo. Mas a 2ª Vara apenas ouviu e respeitou o pedido do Ministério Público porque a sentença foi favorável.

Na decisão judicial positiva, o juiz Guilherme Madeira Dezem argumenta que a Justiça já aceita reiteradamente a inclusão do sobrenome em enteados e que não vê o porquê de não estender esse entendimento também para os casais.

“Com efeito, partindo-se da premissa de que o elemento caracterizador da família é o amor: havendo amor haverá família e, portanto, pode um companheiro adotar o patronímico do outro”, sentenciou.

Com o aval da Justiça, que exige bem claramente que sua decisão seja cumprida em todas as esferas administrativas, Silvio terá 30 dias para mudar seu documento e passar a se chamar oficialmente Silvio Marcos Lopes Tcholakian.

O advogado do caso, Hermano Leitão, classificou o ganho como “um marco na Justiça em São Paulo e para o direito da união civil entre pessoas de igual sexo”.

Transexual é eleita mulher do ano na Argentina

Marcela Romero

A Transexual Marcela Romero, que ganhou uma longa batalha judicial para conseguir seu documento de identidade com nome feminino foi escolhida "mulher do ano" na Argentina.

"Sou o que sou. O direito de uma é o de todas", resumiu Marcela, que obteve seu novo documento em agosto, depois de dez anos de luta para que sua mudança de sexo fosse reconhecida.

Marcela foi nomeada "mulher do ano" pela Comissão da Família e da Mulher da Câmara dos Deputados argentina, em meio a aplausos de legisladores e convidados.

A Transexual reivindicou ao Parlamento a aprovação "o mais rápido possível" de uma lei que garanta os direitos civis das pessoas cuja identidade de gênero não corresponde com o sexo e o nome com que foram registradas, assim como a anulação de normas que "criminalizam" o Travestismo.

"Eu não conheço a democracia", assegurou Marcela ao canal de televisão Todo Noticias para destacar a discriminação que sentiu ao longo de sua vida.

"Teria gostado, por exemplo, de continuar estudando, mas fui rejeitada pelo sistema educacional quando me assumi como mulher", explicou Marcela.

Ela foi escolhida entre 12 mulheres selecionadas por sua luta contra a pobreza, em defesa do meio ambiente, entre outras causas, o que fez com que muitos dos presentes à entrega da distinção se retirassem do local.

Juiz autoriza pedido de adoção de casal Lésbico em Joinville - SC

Juiz Sérgio Luiz Junkes

O juiz Sérgio Luiz Junkes, titular da Vara da Infância e Juventude da Comarca de Joinville, julgou procedente e autorizou o pedido de adoção formulado por um casal de Lésbicas. A criança terá o nome das adotantes em sua certidão de nascimento como mães da criança.

Segundo o magistrado, ficou demonstrado que a menina tem sido criada com amor e carinho e recebe a atenção necessária para suprir suas necessidades, sejam elas materiais, psicológicas e morais.

"O Estatuto da Criança e Adolescente é categórico em afirmar que a adoção se realizará quando apresentar reais vantagens ao adotando", salientou Junkes.

O Código Civil observou que a adoção pode ocorrer por marido e mulher ou por quem vive em união estável.

"Importante ressaltar que nossos Tribunais têm reconhecido a união estável Homossexual, inclusive com o direito sucessório. Desta forma, não há qualquer impedimento para que Homossexuais adotem crianças.", destacou.

O Ministério Público posicionou-se favorável à decisão.

Primeira Transexual operada é estrela de exposição em Londres

April Ashley

Uma exposição que aborda a identidade sexual foi aberta em Londres tendo como destaque uma das primeiras mulheres britânicas que passou pela cirurgia de readequação sexual, a ex-modelo e atriz April Ashley.

Quando nasceu, em 1935, Ashley era George Jameson. "Eu tive de assinar um documento absolvendo o médico em caso de morte", disse ela à BBC. "Fiquei muito doente, mas era a pessoa mais feliz do mundo. Porque de repente o seu corpo está de acordo com sua mente."

A exposição faz parte do Projeto Identidades, da organização Wellcome Trust, se estenderá pelos próximos nove meses e incluirá diversos eventos, como performances ao vivo.

Com a mostra, Ashley pretende passar a mensagem de que "você pode ser quem é. Mas seja com alegria, seja feliz e nunca desista. Seja terrivelmente corajosa, porque isso sim é necessário".

Escolas públicas do Tennessee acabam com censura a sites GLBTs


Dois distritos escolares do Tennessee concordaram em retirar dos computadores das escolas o filtro que impedia acesso a informações educativas online sobre questões GLBT após a União Norte-Americana pelas Liberdades Civis (ACLU) ter aberto processos na Corte Federal, em nome de estudantes e uma bibliotecária.

A ACLU recebeu denúncias de três estudantes secundaristas em Nashville, um em Knoxville e de uma bibliotecária dessa cidade, que também é conselheira da Aliaça Gay-Heterossexual (GSA) local. O processo foi iniciado em 19 de maio.

Cerca de 80% das escolas públicas do estado do Tennessee usam um software de filtragem na internet, fornecido pela organização Education Networks of America.

Os estudantes perceberam que o filtro impedia acesso a sites com informações educativas sobre questões GLBTs, inclusive sites de ONGs e programas governamentais sobre o tema, mas permitia livre acesso a sites relativos à ‘reorientação sexual’ e a ‘terapias reparadoras para pessoas GLBTs’ promovidas por ministérios religiosos – práticas recentemente condenadas pela Associação Norte-Americana de Psicologia (APA).

A lei estadual ordena que as escolas tenham filtros para impedir acesso via internet a conteúdos impróprios para menores. Entretanto, a categoria “GLBT” não inclui material erótico, que já é filtrado na categoria “pornografia”.

“Estamos muito felizes por termos chegado a um acordo sem a necessidade de levar o caso adiante na Justiça”, afirmou a advogada Catherine Crump, que liderou a equipe jurídica da ACLU no caso, acrescentando: “As direções das escolas perceberam que os estudantes têm direito de acessar importantes informações nos sites educacionais que eram bloqueados. Esse é um passo importante para a eliminação da discriminação opinativa, que é inconstitucional”.

Trizia Herzfeld, advogada adjunta no caso, afirmou que “censurar acesso a informação a partir da ideia equivocada de que qualquer site com conteúdo GLBT automaticamente é pornográfico é um grande desserviço à população discente. Agora, as escolas poderão dar continuidade à sua missão educativa”.

O acesso aos sites educativos GLBT será fiscalizado periodicamente e, se houver reincidência, o processo será reaberto.

Brasil é destaque na Inglaterra como destino GLBT


O suplemento anual da ABTA, influente associação de turismo britânico, traz na edição deste ano o Brasil como um dos principais destinos para o turismo GLS no mundo.

Dirigido especificamente ao seguimento GLBT, o suplemento traz 3 páginas dedicadas aos atrativos do Brasil voltados para esse público.

O guia está disponível numa versão online. Nele, são destacados eventos como a Parada Gay de São Paulo e ainda o Carnaval Carioca.

O Rio de Janeiro é destaque também pelo bairro de Ipanema, onde fica a rua Farme de Amoedo. A praia de Ipanema aparece como uma das 10 melhores do mundo.

A inserção do Brasil no guia se deve ao trabalho da Associação Brasileira de Turismo GLS (ABRAT-GLS) cuja mobilização é para atrair cada vez mais turistas do seguimento para o Brasil.

Pesquisa revela que número de Gays é alto no futebol americano


Uma pesquisa publicada na recente edição da revista "ESPN" revela que é alto o número de Gays nas equipes do futebol americano. Os dados foram coletados a partir de entrevista com 85 jogadores.

Quando perguntados se têm algum colega de equipe Gay, praticamente a metade deles disse que sim. O estudo mostrou que 49,4% dos jogadores disseram conhecer um colega Gay.

Entre os atletas filiados ao Pac-10, uma espécie de Associação, o resultado foi ainda mais surpreendente.

Um total de 70% dos jogadores entrevistados disseram conhecer um Gay integrante das equipes das quais fazem parte.

Polícia inglesa protege os pontos de pegação Gay contra homofobia


A polícia de Londres alerta para um aumento na quantidade de ataques de natureza homofóbica em tradicionais pontos de pegação Gay.

Locais como Dukes Mound, em Brighton, tiveram tantos registros de agressão que as autoridades determinaram um aumento no policiamento local.

A ação é parte de um programa de integração entre a polícia londrina e a comunidade GLBT.

Nick Antjoule, oficial GLBT da força policial, disse que “nos últimos dez anos, esse é o relacionamento mais próximo e respeitoso que temos. Os homens que usam parques e becos para pegação agora se sentem mais seguros”.

No fim de junho, a polícia abriu um telefone gratuito para denunciar ataques sexuais a Gays, que estavam acontecendo com certa frequência nos fins de semana, perto de boates e bares.

No mês seguinte, após um Gay ter sido encontrado afogado em um canal perto de Picadilly, o chefe de polícia local anunciou que todos os Gays que viessem registrar queixas ou dar informações sobre crimes ocorridos em áreas de pegação receberiam tratamento respeitoso e garantia de sigilo e anonimato.

A polícia metropolitana fez anúncio semelhante quando dois homens sofreram abusos sexuais na região da Villiers Street, entre Westminster e o porto do Tâmisa: “Não sofram em silêncio, estamos aqui para ajudar. Qualquer ajuda, qualquer detalhe é importante. Não tenham medo de prestar depoimento, aqui vocês serão tratados com respeito”.

O chefe de polícia de Hampshire desfilou na Parada do Orgulho da região, em 1º de agosto, para demonstrar o fortalecimento do elo entre as autoridades e a população GLBT. Marcharam com ele cerca de 100 oficiais fardados, além de representantes da polícia, do corpo de bombeiros e do corpo de salva-vidas.

Qual é o direito dos Gays adotarem filhos no Brasil?


A adoção no Brasil é assunto não resolvido. Os abrigos estão cheios e não podemos aceitar que as pessoas sejam proibidas de adotar por serem Homossexuais.

O preconceito atrapalha quem quer ser adotado. E fere de morte as esperanças e os sonhos de brasileirinhos terem uma família. Precisamos aumentar o números de pessoas que querem adotar.

A adoção por Gays deve ser vista como um avanço especial. Homens que amam homens, e mulheres que amam mulheres, que decidem estar juntos e ter uma vida partilhada chegam a um momento em que desejam ter filhos.

Não são poucos os Gays que querem que a família cresça, e a adoção é o caminho natural. Impedir que eles adotem é impedir que crianças sozinhas passem a ter pais, mães, avós, tios e uma família.

Os preconceituosos “donos da verdade” defendem que é melhor uma criança ficar num abrigo do que com um casal Gay?

No mínimo, eles nunca entraram num abrigo e nunca viram a dor da solidão e do abandono em cada olhar infantil que tem o sonho, às vezes distante, de ter uma família.

E qual é o problema de, em vez de um pai e uma mãe, serem dois pais ou duas mães? O sentido da família é o mesmo.

O preconceito contra Gays já é atraso; usá-lo para que crianças deixem de ter uma família é crueldade.

Eu sou Gay, tenho 40 anos e, se tivesse um companheiro, tenho a certeza de que uma ou mais crianças poderiam ter dois grandes pais e uma família especial e conviver com seus primos, tios e, sobretudo, ganharem uma história especial.

Até mesmo porque, o que a gente precisa na vida é uma história para contar. Que história vamos deixar que nossas crianças contem por causa de tolos preconceitos?

Fonte: Blog You Pode

Trans masculinos terão novas identidades sem cirurgia na Austrália


Dois Transexuais masculinos ganharam apelação na justiça australiana para serem legalmente reconhecidos como homens, mesmo sem ter alterado suas genitálias femininas.

Eles tinham tido seus pedidos de mudança de identidade oficial negados pela Junta de Redesignação de Gênero do Oeste Australiano.

Apelaram ao Tribunal Administrativo do Estado, que considerou que, apesar de ainda terem vaginas, ovários e úteros funcionais, os dois ‘já se apresentam e podem ser reconhecidos como homens’.

O parecer do tribunal acrescenta que “os dois solicitantes passaram por mastectomia bilateral e tratamentos com testosterona, sofrendo uma série de mudanças físicas que são consistentes com a masculinidade.

O Tribunal também aceitou as afirmações de cada solicitante, de que ele pretende prosseguir com o tratamento de testosterona pelo resto da vida. Conforme evidência médica, ambos estão estéreis e continuarão assim enquanto estiverem sob o tratamento”.

O texto ainda afirma que ‘o aparelho reprodutivo feminino é uma característica física fundamental da feminilidade, mas não é essencial’ e que a Lei de Redesignação de Gênero não exige estritamente a realização da cirurgia para se obter reconhecimento identitário.

Um dos homens comemorou em entrevista ao jornal ABC News: “Isso abre várias oportunidades para outras pessoas, que não tinham tentado até hoje ter seu gênero legalmente modificado por acharem que não teriam chance”.

Conheça o CEDOC - Centro de Documentação Prof. Dr. Luiz Mott

CEDOC

O Centro de Documentação Prof. Dr. Luiz Mott (CEDOC) é um acervo de diversos materiais sobre Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (GLBT).

Os materiais incluem produção acadêmica (teses, dissertações, monografias e artigos) sobre a temática GLBT, além de livros, documentos, publicações periódicas, informativos, DVDs e fotografias que contam parte da história do Grupo Dignidade e do Movimento GLBT no Brasil. Também retratam manifestações culturais GLBTs.

O CEDOC tem o nome “Prof. Dr. Luiz Mott” em homenagem ao fundador do Grupo Gay da Bahia (1980), incansável e persistente pioneiro na luta pelos Direitos Humanos GLBTs no Brasil.

O CEDOC pode ser visitado para fins de consulta dos materiais disponíveis, de segunda a sexta-feira, das 10 às 18 horas. Por enquanto, não há serviço de empréstimo de materiais.

Consulte o Catálogo do CEDOC para conhecer o acervo. Além de poder visitar o CEDOC pessoalmente, parte do acervo também está à disposição para consulta on-line através do Catálogo.

Contribuições serão muito bem-vindas, na forma de:

- Sugestões quanto ao aprimoramento do conteúdo do CEDOC.
- Eventuais correções das informações históricas apresentadas.
- Doação de materiais, como fotos e documentos (seja impressos ou escaneados), vídeos, livros etc. relativos à temática GLBT, a partir de uma ótica sóciocultural e histórica.
- Produção acadêmica sobre o tema.
- Indicação de fontes de materiais sobre a temática GLBT.

O Centro de Documentação Prof. Dr. Luiz Mott se tornou possível graças a parcerias entre o Grupo Dignidade e o Mandato do Deputado Federal Dr. Rosinha, o Ministério da Cultura e o Grupo Gay da Bahia. Além disso, várias das informações disponíveis foram obtidas através de pesquisa no Arquivo Edgard Leuenroth (UNICAMP).

CEDOC
Av. Mal. Floriano Peixoto, 366 - Cj. 43
Centro - Curitiba - PR
80410-170
Tel. (41) 3222 3999, Ramal 29
E-mail: cedoc@grupodignidade.org.br
Aberto: segunda à sexta-feira, das 10 às 18 horas

Reino Unido ganha uma Associação Trans de Polícia Nacional

Associação Trans de Polícia Nacional

Uma das maiores sensações do festival Sparkle 09, em Manchester, foi uma espécie de milícia sem armas composta apenas por Transexuais.

A Associação Trans de Polícia Nacional foi criada para incentivar a Comunidade Transexual a reportar incidentes à polícia, sem medo de represálias.

As integrantes da milícia estão no olho de um furacão: a fúria de contribuintes no Reino Unido que descobriram que a associação pode receber financiamento público.

A Associação Trans de Polícia Nacional já é reconhecida e apoiada pela Associação de Chefes de Polícia e pela agência responsável por melhorias na força policial britânica.

Padre colombiano diz que a igreja é o armário dos Gays

Germán Robledo

O padre colombiano Germán Robledo, ex-presidente do Tribunal Eclesiástico de Cali, está escrevendo um livro que pode cair como uma bomba.

Na obra batizada de "Hacia un clero Gay" (Em direção a um clero Gay) o religioso promete analisar porquê a igreja católica tem tantos sacerdotes Gays.

Em recente entrevista sobre o livro, Robledo afirmou que "a igreja é o armário dos Gays", numa referência ao alto número de sacerdotes colombianos que levariam uma vida dupla, dividindo-se entre o desejo Homossexual e o celibato. Segundo o padre, 30% dos 120 sacerdotes de Cali são Gays.

Em "Hacia un clero Gay", Germán Robledo promete contar casos como o de padres que distribuíam dinheiro do dízimo para homens pobres que aceitavam prestar-lhes favores sexuais.

Perguntado sobre o que acha da Homossexualidade, Robledo tenta ser simpatizante: "Não tenho problemas com Gays, muito pelo contrário. Acho que eles devem ter plenos direitos e eu, enquanto sacerdote, os tenho acolhido. Mas o clero é um lugar equivocado para eles", sentencia.

Israel concede pensão a uma viúva Lésbica

Ella Bar-Ilan e Roberta Saltonick

Após a morte de sua parceira, uma senhora Lésbica de 64 anos ganhou do governo de Israel o direito à pensão de viúva.

A ação é uma resposta ao processo movido pela viúva Ella Bar-lian e defendido pela New Family (Nova Família), uma associação nacional de advocacia que luta pelos direitos das famílias.

Ella Bar-Lian entrou com um pedido de seguro de pensão para viúvas após a morte de sua parceira Roberta Saltonick em setembro de 2008.

O pedido foi recusado por não serem consideradas conjuges, mesmo após 22 anos de relacionamento.

Com a ajuda da New Family que entrou com um recurso, Ella se tornou vitoriosa e recebeu o direito à pensão.

“Não vamos descansar até que a legislação ofereça direitos iguais a todos os tipos de famílias”, revelou Irit Rosenblum, diretor da New Family.

Qual relacionamento é mais complicado? Gay ou hétero?


Um outro dia um amigo me perguntou: "relacionamento Gay é muito complicado?"

Para responder essa questão é preciso lembrar que relacionamentos, tanto faz se entre héteros ou entre Gays, são sempre complicados.

Porém, os Gays são também obrigados a lidar com muitas outras dificuldades além das enfrentadas por todo mundo. A mais séria, a meu ver, é a homofobia internalizada.

Desde muito cedo aprendemos, entre outras coisas negativas, que relacionamentos Homossexuais não têm futuro. Que são baseados apenas na satisfação imediata pelo sexo, sem fins de procriação e sem função na sociedade.

Esses relacionamentos são vistos como narcisistas e imaturos. Os gays crescem sem ter a oportunidade de explorar sua afetividade e sexualidade de forma natural e espontânea, como fazem os héteros, e passam a acreditar que sua diferença está irremediavelmente associada à solidão e ao abandono.

Como essas crenças estão, na maior parte das vezes, no nível inconsciente, eles tendem a buscar fora deles as causas para seu fracasso em obter e manter relacionamentos significativos.

Frases como "os Gays só pensam em sexo" ou "ninguém quer nada sério" não são meras constatações da realidade que os cerca, mas indicadores poderosos da sua homofobia internalizada.

Um outro sintoma importante da homofobia internalizada é o valor positivo que se costuma dar aos "fora do meio". Esses costumam ser vistos como "superiores", como uma casta que não se mistura com a massa "promíscua" e "fútil" da qual se constitui o mundo Gay.

Ora, se vive "fora do meio" e rejeita aqueles que são como ele, como fazer para encontrar um parceiro e para estabelecer um relacionamento que se sustente sem os apoios familiar ou social?

Outra dificuldade inerente aos relacionamentos Gays tem a ver com os papéis de gênero (masculino e feminino), ou seja, os comportamentos e atitudes que a sociedade estabelece para cada um dos gêneros, e que nos são impostos primariamente pela família e pela escola.

Os meninos são incentivados a serem fortes e competitivos, a evitarem demonstrações de afeto e a explorarem sua sexualidade de forma mais livre do que as meninas.

Com isso, aprendemos pouco sobre como expressar sentimentos e dividir nossa intimidade. Por outro lado, desenvolvemos uma identidade fortemente apoiada na sexualidade e na disputa pelo poder.

Como um relacionamento Gay envolve necessariamente dois homens, essas características de gênero tendem a ser uma fonte adicional de conflitos.

Impossível falar sobre relacionamentos Gays sem tratar da questão da "invisibilidade". A maioria dos Gays cresce em famílias heterossexuais e passa boa parte da infância e da adolescência sem sequer conhecer um casal Gay (abertamente Gay e/ou abertamente casal).

Mesmo depois de terem se assumido e passado a conviver com outros Gays, não é muito frequente encontrarem casais Gays estáveis e visíveis. Muitos escolhem se "misturar" com os héteros e viver uma vida longe da comunidade Gay; ou porque sentem-se, de alguma forma, ameaçados na sua segurança, ou porque acreditam que o modelo de casal não é compatível com o estilo de vida Gay (de novo a homofobia!).

Além disso, a ausência de modelos públicos (como na mídia, por exemplo), a falta de literatura específica sobre o tema (quantos livros sobre relacionamentos Gays você conhece?) e de especialistas em aconselhamento para casais Gays, torna essa empreitada uma aventura ainda mais solitária.

Quando um casal hétero se forma, "os céus dizem amém". É possível, e muito desejável, que o casal compartilhe sua felicidade com a família e os amigos. Quando se depara com as dificuldades naturais dos relacionamentos, encontra apoio e ajuda para resolver os problemas.

Quando se separa, além dos ombros de familiares e de amigos para chorar, o casal terá provavelmente a compreensão de todos à sua volta, assim como todos os recursos que a sociedade heterossexual lhe oferece.

Para o casal Gay "invisível", a maior parte desses privilégios será negada (como por exemplo usar uma aliança de namoro com o nome do amado gravado ou mandar flores no trabalho, etc).

Como justificar para a família ou para o chefe no trabalho a alegria ou a tristeza do momento? Como enfrentar as crises inevitáveis sem o suporte daqueles que estão próximos? Onde buscar ajuda de forma segura e confiável?

Além dessas dificuldades mais específicas, Gays, assim como héteros, trazem para seus relacionamentos uma bagagem emocional complexa que se forma, a partir dos primeiros anos, na relação com os pais (Freud explica) e se consolida por meio das experiências de vida.

E olha que mesmo com todas estas dificuldades, já é possível enxergar vantagens no relacionamento Gay, pois segundo o Instituto de Pesquisa Rockway, de San Francisco, relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo são mais saudáveis que entre heterossexuais, você acredita?

Uma série de estudos revelou que pessoas que se relacionam com outras do mesmo sexo têm maior probabilidade de relacionamentos maritais e familiares do que aquelas em um relacionamento hétero.

Robert Jay, diretor executivo do Instituto Rockway disse que a flexibilidade de gênero dos papéis desempenhados pelas pessoas em um relacionamento Gay e a divisão igualitária nas questões domésticas e familiares resultam em relacionamentos mais saudáveis que aqueles heterossexuais apoiados em moldes antigos.

Seja Gay ou hétero, o importante é ser feliz no relacionamento!!!

Garoto de 16 anos quer mudar de sexo em Barcelona


Um menor de 16 anos pode vir a tornar-se o primeiro menor de idade a mudar de sexo na Espanha se um juiz de Barcelona aprovar a intervenção cirúrgica, informa o El País.

A lei só permite a mudança de sexo aos menores de 18 anos caso estes consigam uma autorização judicial. O "sim" dos pais e dos médicos não é suficiente.

"A Transexualidade é algo que tem que ser tratada. Todos levaríamos as mãos à cabeça se nos dissessem que um menor de idade com leucemia não podia ser tratado até aos 18 anos", afirmou Iván Mañero, do Hospital Clínico de Barcelona.

O médico garante que a operação está totalmente justificada, até porque o jovem já faz tratamento hormonal e psiquiátrico há mais de um ano e meio: "Há dez anos, os jovens de 16 anos não sabiam o que fazer nesta situação, mas agora descobrem o seu problema e sabem que tem solução".

A presidente da Associação de Transexuais da Catalunha, Gina Serra, acredita que o juiz vai autorizar a cirurgia. "Um menor já sabe o que quer ou não quer ser, tudo depende do apoio que encontre na família", disse.

28 de novembro de 2009

Primeiro Casamento Gay da América Latina será feito na Argentina

Alex Freyre e José María di Bello

Os argentinos Alex Freyre e José María di Bello realizarão o primeiro Casamento Gay na América Latina em 1º de dezembro, Dia Mundial contra a Aids.

O casal deu entrada no processo de casamento em um cartório de Buenos Aires. Eles reconheceram à imprensa a importância de um dia como este, que coincide ainda com o debate a ser realizado no Congresso argentino sobre o assunto.

"Não podemos acreditar, estamos muito felizes porque hoje concretizamos tanto nosso sonho como o de muitas outras pessoas", comentou Di Bello.

A juíza Gabriela Seijas declarou recentemente "inconstitucional" o impedimento para que duas pessoas do mesmo sexo possam se casar, em resposta a um processo apresentado em abril por Freyre e Di Bello, respectivamente de 39 e 41 anos.

Com o apoio de organizações de defesa dos direitos dos Homossexuais, eles pediram aos deputados que usem este "avanço social" para aprovar uma lei que reconhecerá a igualdade jurídica ao grupo.

O casal, que tem HIV, escolheu o Dia Mundial contra a Aids para o casamento para "passar uma mensagem de não discriminação e estimular aqueles com a doença para que reconheçam seus direitos como cidadãos", segundo Freyre.

Ambos terão como padrinho o vereador espanhol Pedro Zerolo, embaixador para a América Latina e o Caribe do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (Unaids).

Assessor do presidente do Governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, ele trabalha pela igualdade jurídica para Homossexuais, Bissexuais e Transexuais da Espanha e Argentina.

O prefeito de Buenos Aires, Mauricio Macr, divulgou um vídeo no YouTube apoiando o casamento entre Alex e José, e os demais Homossexuais que tenham o mesmo desejo.

Por ser muito conservador, o prefeito surpreendeu a opinião pública ao dizer no vídeo que mudou de ideia sobre o assunto e é a favor da União Homossexual.

Sociedade ateísta da Inglaterra é contra a "cura de Gays"


A National Secular Society (maior organização ateísta e secularista do Reino Unido) enviou carta ao Real Colégio de Psiquiatras e à Sociedade Britânica de Psicologia pedindo que as instituições acompanhem a resolução da Associação Norte-Americana de Psicologia (APA) e orientem seus associados a não promoverem terapias de “cura de Homossexuais” e “reorientação sexual”.

No início deste ano, uma pesquisa revelou que um em cada seis terapeutas na Grã-Bretanha havia tentado ‘reorientar’ pessoas Homossexuais para torná-las heterossexuais.

A APA tirou a Homossexualidade do registro de desordens mentais em 1973 e agora publicou um estudo detalhado afirmando que a Homossexualidade não pode ser ‘curada’.

Na carta, a NSS lembra que “há pesquisas suficientes na área para determinar que não apenas a dita terapia de reorientação não funciona, como expõe os sujeitos à possibilidade de desordens mentais no futuro”.

Ela também enfatiza que a pressão para que esse tipo de tratamento continue a ser oferecido tem base religiosa evangélica, a partir de uma doutrina que condena a Homossexualidade: “A ideia de que uma pessoa deva ser ‘convertida’ de Homo em heterossexual é mais uma demanda teológica do que uma realidade científica”.

A NSS não condena a prática religiosa; em seu estatuto, ela defende “a liberdade religiosa e a libertação da religião”, afirmando que a posição teológica não deve oferecer vantagens políticas, financeiras nem sociais.

Ela luta desde sua fundação em 1866 pela separação completa entre igreja e Estado na Grã-Bretanha, pela retirada de subsídios governamentais à educação religiosa e pela separação entre instituições religiosas e iniciativas nas áreas de Saúde, Direitos Humanos e Legislação.

Brasil fica com bronze e ouro em torneio de Vôlei Gay

Jogador da equipe São Paulo Outgames

De 19 a 22 de novembro aconteceu o Torneio Internacional de Voleibol Gay de 2009 (2009 International Brazil Cup Volleyball LGBT Tournament) em Santo André e São Paulo.

O Brasil foi sede do evento esportivo que atraiu 16 de seleções incluindo o Canadá, Chile, Colômbia, Cuba, México, Peru, Porto Rico e, claro, a seleção nacional.

A final foi no domingo (22/11), no Ginásio de Esportes do Parque Celso Daniel em Santo André, e quatro equipes disputaram o torneio.

A equipe brasileira Cariocas da Gema ficou com a medalha de bronze, vencendo a equipe do México; já a São Paulo Outgames foi a grande vencedora do torneio, derrotando o time do Canadá e ficando com a medalha de ouro. O encerramento foi marcado por uma grande festa, sem esquecer o lado político do evento.

A organização geral do evento ficou por conta do CDG Brasil, Comitê Desportivo LGBT Brasileiro, com parceria da CADS (Coordenadoria de Assuntos da Diversidade Sexual de São Paulo), Secretaria Municipal de Esportes de São Paulo, Departamento de Humanidades da Cidade de Santo André e da Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Governo do Estado de São Paulo.

Vereadora Transexual de Salvador muda de nome com autorização de um juiz

Leo Kret

"Leo Kret do Brasil" passa a ser o nome civil da dançarina e vereadora de Salvador desde a publicação da sentença no último dia 18 de novembro pelo Juiz Nelson Cordeiro, da Vara de Registro Civil da Bahia.

O nome original de Leo é Alecsandro. Ele assumiu a identidade feminina a partir dos quinze anos, quando o apelido Leo Kret surgiu numa brincadeira de escola.

Leo Kret declarou que "esta é uma grande vitória e evolução, não só para mim, mas para milhares de Travestis e Transexuais que vivem constrangidas e excluídas de diversos meios devido a esta questão".

Para o Juiz Nélson Carneiro, a mudança de nome visa a inserção social da Transexual que "sofre rejeição da própria família", apontando que o direito à orientação sexual "é inerente à liberdade da pessoa e à sua dignidade".

Pesquisa descobre fungo Homossexual capaz de reproduzir-se

Candida albicans

A Candida albicans é uma espécie de fungo que vive comumente na boca e no sistema digestivo humano. Em excesso, esse tipo de levedura se torna patogênico, causando infecções como a candidíase.

Anteriormente, achava-se que os fungos que causam infecções fossem estritamente assexuados, mas estudos demonstraram a reprodução sexual entre células de sexos diferentes.

Agora, uma nova pesquisa descobriu que, sob certas circustâncias, a reprodução sexual no C. albicans também pode ocorrer entre células do mesmo sexo. Esse modo de reprodução ocorre na falta de um gene específico que codifica uma enzima, a protease Bar1.

Segundo Kevin Alby e colegas do Departamento de Microbiologia e Imunologia Molecular da Universidade Brown, nos Estados Unidos, a reprodução entre células do mesmo sexo se mostrou menos eficiente do que entre exemplares de sexos opostos.

Mas o processo entre células do mesmo sexo, além de facilmente detectável, mostrou-se preferível em diversos casos analisados, de acordo com a pesquisa.

“Os resultados do estudo têm implicações no modo de reprodução sexual em espécies relacionadas que se propagam unissexualmente e indicam um papel para ciclos sexuais especializados na sobrevivência e na adaptação de fungos patogênicos”, destacaram os autores.

3ª Parada Gay de Bragança Paulista - SP

Parada Gay de Bragança Paulista em 2008

3ª Parada Gay de Bragança Paulista - SP
29/11/09 - Domingo - 13:00h
Avenida José Gomes da Rocha Leal

Transexual masculino joga na Liga Australiana de Futebol

William G.

A Liga Australiana de Futebol (AFL) decidiu autorizar a contratação de um Transexual, William G., de 25 anos, por um clube de futebol americano - uma variação do rúgbi.

William já vive como homem há dois anos e declarou que ser jogador profissional é seu sonho desde criança.

Segundo as leis australianas que regulam o esporte, mulheres e homens não podem jogar em times mistos após os 14 anos de idade. No entanto, a lei não prevê discriminação em caso de mudança de sexo. Recentemente, a AFL tem adotado medidas anti-discriminação.

William declarou temer a reação dos outros jogadores. Glenn Scott, presidente da AFL, por sua vez, disse que o rapaz será bem-vindo à liga e que os demais jogadores receberão educação sobre Transgêneros.

William, que deverá começar a jogar pelo clube Bendigo a partir do ano que vem, ainda tem que concluir o processo de transição. Ele deverá passar por uma cirurgia para remoção do útero em breve.

O rapaz declarou que não quer receber nenhum tipo de tratamento diferenciado. “Sou apenas um cara comum querendo jogar futebol”, afirmou. “Há apenas uma pequena diferença em como me tornei um cara.”

2ª Parada Gay de Maranguape - CE


2ª Parada Gay de Maranguape - CE
29/11/09 - Domingo - 14:00h
Praça da Guabiraba
Grupo Amá-los

Samantha Fox pensa em assinar Parceria Civil com a namorada

Samantha Fox

Samantha Fox, modelo e cantora inglesa de sucesso nos anos 80, revelou seu plano de assinar uma Parceria Civil com sua namorada, Myra Statton.

Ela contou à revista OK! que as duas planejam realizar a cerimônia na Inglaterra. Segundo a artista, possivelmente Lemmy, do Motorhead, iria levá-la ao altar. “Também podemos ter Liz Mitchell, do BoneyM, como celebrante, já que ela é pastora”.

Os rumores sobre a sexualidade de Sam Fox começaram em 1999, quando ela foi juíza em um concurso de Beleza Lésbica. Na época, ela não confirmou nem negou.

Em 2003, entretanto, ela anunciou que estava apaixonada por Stratton, que era sua empresária. “É hora das pessoas saberem onde meu coração está. Estão sempre me perguntando se sou Lésbica. Estou completamente apaixonada por Myra e quero passar o resto da vida com ela”, disse Fox.

1ª Parada Gay de Itamaraju - BA


1ª Parada Gay de Itamaraju - BA
29/11/09 - Domingo - 12:00h
Praça Castelo Branco
Grupo Adé Resistência

24 de novembro de 2009

Portugal poderá legalizar o Casamento Homossexual ainda este ano

Primeiro-Ministro José Sócrates

Dois anos após a descriminalização do aborto, Portugal poderá legalizar em breve o Casamento Homossexual, inscrito no programa do novo governo socialista e apresentado ao parlamento.

"Com exceção de alguns setores, existe uma certa indiferença generalizada sobre a questão que parece menos intensa do que há alguns anos", constata José Palmeira, professor de ciências políticas da Universidade do Minho, em entrevista à AFP.

Para o sociólogo João Manuel Oliveira, a sociedade portuguesa evoluiu depois da Revolução dos Cravos, em 1974, que pôs um ponto final a mais de 40 anos de ditadura, e atingiu "um ponto de maturidade".

Ao contrário da descriminalização do aborto, que precisou de dois referendos - o primeiro, em 1998, assistiu à vitória do "não" antes do sim" em 2007.

O primeiro-ministro José Sócrates excluiu, desta vez, o Casamento Gay de uma consulta popular exigida por uma parte da direita, por socialistas católicos e pela igreja.

"Assumi esta proposta no meu programa eleitoral, e a defendi em debate público. Tenho, então, total legitimidade para propor e para fazer aprová-la por este parlamento", declarou o primeiro-ministro, durante a apresentação de sua resolução ao parlamento.

Sócrates, que perdeu a maioria absoluta nas recentes legislativas de 27 de setembro, apoia-se no conjunto dos votos dos partidos de esquerda, favoráveis ao Casamento Gay e que são maioria no Parlamento.

O chefe do governo lembrou que este projeto de lei representa "um gesto" para com os Homossexuais, que sua geração "maltratou".

Sócrates não fez menção à adoção de crianças por casais do mesmo sexo, o que não faz parte de seu programa.

Se for aprovado, Portugal se somará à lista dos países que já autorizaram o Casamento Homossexual como África do Sul, Canadá, Espanha, Reino Unido, Bélgica, Noruega, Suécia ou, ainda, a Holanda.

Curitiba sedia 5ª Conferência Regional ILGA-LAC

ONU lança campanha "Igual a Você" contra o preconceito no Brasil


A ONU lançou no dia 16 de novembro uma campanha nacional para alertar sobre a violação dos direitos humanos, chamando a atenção para grupos sociais que sofrem discriminação e são estigmatizados.

Batizada de “Igual a Você”, a campanha conta com 10 filmes nacionais legendados em inglês, espanhol e também em português para permitir o entendimento de deficientes auditivos brasileiros.

Ao invés de escolher atores para participarem dos vídeos, a ONU traz pessoas comuns, vítimas reais de preconceitos que são o foco de alerta da campanha – Gays, Lésbicas, Transexuais e Travestis, usuários de drogas, refugiados, profissionais do sexo, estudantes, negros e adultos e crianças soropositivas.

Clique no link para assistir três vídeos, protagonizados por Gays, Lésbicas, Travestis e Transexuais.

Acesse a página oficial da ONU para mais informações sobre a campanha “Igual a Você” e aproveite para conhecer os demais trabalhos realizados.

Austrália declara 2010 o ano da ação GLBT pelo Casamento Gay


Entidades GLBTs da Austrália declararam 2010 como o “ano da ação” na luta pelo casamento entre pessoas do mesmo sexo.

A campanha será lançada em 28 de novembro com evento em Sydney, Melbourne e outras grandes cidades do país. Ao lado de 70 organizações, estarão também grupos de direitos humanos, meios de comunicação e grupos políticos.

A data do início dos eventos é dois dias depois que o Senado australiano definir a validade de um relatório sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

“Se a comissão do Senado se colocar a favor da reforma, os nossos protestos irão forçar o governo a adotar as recomendações do Parlamento Europeu. Se, ao contrário, se mantiverem as leis discriminatórias sobre o casamento, vamos expressar a nossa oposição e lutar para ganhar o apoio público para a nossa causa", disseram os organizadores.

Paulista - PE concede pensão a um servidor público Homossexual

Válter Filho e Vereador Sílvio Moura

A prefeitura de Paulista, no interior de Pernambuco, concedeu a primeira pensão a companheiro de servidor público Homossexual.

O benefício foi para o cozinheiro Válter Sebastião Filho, de 38 anos. Ele passa a receber pensão pela morte do seu companheiro, um funcionário público com o qual viveu durante 8 anos. O servidor morreu em junho em um acidente de carro. O nome dele não foi divulgado.

O benefício só foi possível graças à Lei enviada pela Câmara dos Vereadores e sancionada pelo prefeito, Yves Ribeiro (PSB), reestruturando o Regime Próprio da Previdência Social do Município.

A alteração modificou o inciso I, do artigo 9º, da Lei nº 4.012/2007. Com a mudança o texto listou os que têm direito à pensão acrescentando "o companheiro ou companheira Homossexual."

Como podemos inserir as Travestis no Mercado de Trabalho?

Andréia Albertini

Saúde, estética e prostituição. Hoje, essas são praticamente as únicas áreas de atuação profissional que uma Travesti pode almejar.

Para tentar mudar essa realidade, cerca de 30 militantes do grupo Pela Vidda se reuniram, no Centro do Rio, em um encontro que debateu a inserção desse grupo no mercado de trabalho.

Muitas Travestis morrem diariamente porque na prostituição estão expostas à criminalidade e à violência. Além disso, o tempo de trabalho de uma Travesti que se prostitui é muito curto, porque quando envelhece, perde o glamour e o sustento – explica Lorna Washington, atriz e Transformista.

Giselle Meirelles é Travesti e conseguiu subverter a realidade da maioria das colegas. Formada em jornalismo, Giselle também é uma profissional da área de saúde e hoje coordena projetos do Pela Vidda, grupo que dá ajuda humanitária aos portadores de HIV.

– Quero que a história delas seja diferente. Se eu consegui estudar e se tive oportunidades, elas também podem ter – diz Giselle.

Presente ao encontro, a documentarista Rejane de Moraes, diretora do curta Eu, Travesti, disse que, a partir de sua experiência, envolveu-se pessoalmente na luta das Travestis por mais dignidade.

– Percebi que há uma evasão escolar por causa do preconceito. A partir daí, muitas vão para as ruas. Não acredito em um documentarista que não se envolva no que está documentando, é impossível. Por isso, hoje estou aqui.

A Travesti Andréia Albertini, que ficou conhecida pelo escândalo com o jogador Ronaldo, no ano passado, foi considerada pelas militantes como um retrocesso na busca delas por um reconhecimento mais digno da sociedade.

– Ela foi suja e não pensou no coletivo ao fazer aquele escândalo – reclama Lorna Washington. Andréia morreu no dia 09 de julho, devido a complicações do vírus HIV do qual era portadora.

Márcio Villar, presidente do Pela Vidda, diz que Andréia frequentava o grupo, mas nunca abriu sua condição de soropositiva.

– Estranhei quando soube, ela era quieta. Só a pessoa expõe sua condição, é lei. Ninguém precisa saber se o outro tem HIV, mas é importante que todos se cuidem.

Grupo SP Gay Bikers promove Passeio Ciclístico da Diversidade


Organizado pelo grupo SP Gay Bikers, KFuture Sports e CADS; e apoio da Secretaria de Esporte, Lazer e Recreação de São Paulo e da SP Turis, o Passeio Ciclístico da Diversidade traz o tema “Pedalando Sem Homofobia” e tem como objetivo dar visibilidade e integrar a Comunidade GLBT através de atividades esportivas.

Um total de 14km estão previstos no percurso, que começa às 20h, no Largo do Arouche.

Homens e mulheres podem participar, desde que tenham entre 14 e 65 anos e preencham a ficha de inscrição obtida na página oficial do evento. Os interessados em trabalhar como voluntários também podem se inscrever.

Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail:
ciclismodiversidade@gmail.com.

O passeio estava agendado para a Virada Esportiva de São Paulo, em setembro, mas foi remarcado por problemas de segurança e logística, já que outro evento seria realizado no mesmo horário.

Prefeitura de Madri faz campanha para reforçar o turismo GLBT

Parada Gay de Madri em 2007

Madri talvez ainda não tenha engolido o fato de ter perdido as Olimpíadas de 2016 para o Rio de Janeiro. Agora que a Cidade Maravilhosa também faturou como melhor destino Gay do mundo, a capital espanhola corre atrás e quer se firmar entre os turistas GLBTs.

O órgão de turismo do país acredita que Madri pode ser uma referência mundial entre os Gays pois oferece “mais de 500 opções entre hotéis, bares, restaurantes, cafés, casas noturnas, salões de cabeleireiros e academias, entre vários de tipos de comércio destinados ao público GLBT.” Algo que o Rio está longe de oferecer.

Em maio, a Prefeitura firmou um acordo junto à comunidade para colocar Madri entre os cinco grandes destinos mundiais de encontros GLBTs, promovê-la em mercados emergentes e aumentar o turismo Gay e de luxo.

Hoje, a maior parte dos turistas GLBTs que visitam a cidade vêm dos Estados Unidos, Canadá, Alemanha e Áustria. Pesquisas apontam que turistas Homossexuais gastam em média R$ 330 por dia, contra R$ 200 dos turistas heterossexuais.

Além disso, são turistas que estão dispostos a viajar em qualquer época do ano, diferentemente dos heterossexuais que dependem muito do calendário escolar dos filhos.

Pernambuco ganha Assessoria de Assuntos GLBTs

Rildo Veras

O sociólogo Rildo Veras assumiu, no dia 19 de novembro, a Assessoria Especial da Diversidade Sexual, no Governo de Pernambuco, para cuidar de assuntos de interesse da Comunidade GLBT.

De acordo com o Diario de Pernambuco, Rildo Veras relembrou como a população GLBT era diferente há 10 anos, que evitava lutar pelos seus direitos por medo do preconceito.

“Não tínhamos coragem de mostrar a cara. Hoje, vamos lutar para tirar do papel nossas propostas”, disse durante o discurso.

O papel da assessoria é colocar em prática projetos que beneficiem a Comunidade GLBT de Pernambuco nas mais diversas áreas.

A Polícia Civil de Pernambuco já é treinada para tratar sem discriminação os cidadãos GLBTs.

Cyndi Lauper foi eleita a "aliada do ano" por revista Gay


Cyndi Lauper está na capa da próxima edição da revista Gay americana"Out".

A publicação fez uma lista das pessoas que mais se destacaram no meio em 2009 e a cantora estampa a capa ao lado do ex-"American Idol" Adam Lambert, da comediante Wanda Sykes, do militar Lt. Dan Choi e do diretor Rob Marshall.

Cyndi é a única heterossexual na capa da revista, levando o título de "aliada do ano". A cantora tem uma irmã Lésbica, Ellen, e uma fundação em que arrecada fundos e luta pelos direitos civis Gays.

19 de novembro de 2009

Política Nacional de Saúde Integral GLBT aprovada por unanimidade


No dia 12 de novembro foi aprovada, por unanimidade, a Política Nacional de Saúde Integral dos GLBTs.

O objetivo é humanizar e qualificar o atendimento no Sistema Único de Saúde (SUS), diminuindo o preconceito e a discriminação contra os GLBTs.

A votação ocorreu no Pleno Conselho Nacional de Saúde, que reúne sociedade civil e governo.

Estão na mira da política: incluir os quesitos orientação sexual, identidade de gênero e étnico-racial nos prontuários clínicos, informar profissionais de saúde sobre as especificidades dos GLBTs a fim de promover a prevenção de DST/AIDS, câncer de colo uterino e de mama, no caso das Lésbicas e mulheres Bissexuais, assim como a prevenção de câncer de mama a Travestis e Transexuais decorrentes do uso de silicone industrial.

Salvador sedia a 2ª Mostra Possíveis Sexualidades: Amor, Família e Lar


A 2ª Mostra Possíveis Sexualidades: Amor, Família e Lar, produzida pelo Instituto Cervantes, consolida-se como o principal evento cinematográfico com temática GLBT de Salvador.

A mostra acontece entre os dias 20 e 26 de novembro deste ano em cinco locais diferentes da capital baiana: Instituto Cervantes, Aliança Francesa, Instituto Cultural Brasil Alemanha (ICBA) e nas SALADEARTE - Cinema do Museu e Cinema da UFBA.

A mostra inscreve-se no âmbito das políticas de formação sobre direitos humanos e diversidade afetivo-sexual e é neste sentido que o IAT se insere mais uma vez no processo ampliado de formação continuada.

Voltado para questões de gênero e sexualidade, o evento objetiva contribuir para a qualificação do professor no cotidiano escolar, com vistas a assegurar o exercício de práticas educacionais comprometidas com a discussão sobre a valorização e o respeito à diversidade.

Essa é uma oportunidade que os docentes têm para participar de uma atividade educativa voltada para a minimização, ou mesmo eliminação, das assimetrias de gênero associadas ao exercício da sexualidade.

"O objetivo é, também torná-los mais capazes de planejar, implementar e avaliar essas ações, especialmente com crianças e adolescentes" , afirma o coordenador do curso Direitos Humanos e Diversidade Sexual do IAT, Hilton Leal.

Durante os sete dias da Mostra acontecem três mesas redondas, exposições fotográficas, exibição de 15 longas-metragens, além do show de abertura, com a banda Solange Tô Aberta.

Debates - A partir do tema "Amor, Lar e Família", o público entra em contato com as semelhanças e diferenças da representação cinematográfica de Homossexuais, Bissexuais e Transgêneros em filmes produzidos na Espanha, Itália, Alemanha, França, Brasil e Argentina.

Além disso, nas mesas redondas, serão discutidos temas como Homoparentalidade, literatura infantil e a análise de produtos culturais a partir de um olhar GLBT.

Livraria Cultura promove mesa redonda sobre Lésbicas: Escritoras Brasileiras

Livro A Volúpia do Pecado, de Cassandra Rios

No dia 21 de novembro, a partir das 16:00h, vai acontecer na Livraria Cultura, no mezanino da unidade de livros de arte do Conjunto Nacional, em São Paulo, o evento Lésbicas: escritoras brasileiras.

Organizada pela Editora Malagueta e o site Livre Arbítrio, a apresentação vai honrar aquelas pioneiras que tiveram coragem de falar da Homossexualidade feminina antes de nós, como Cassandra Rios e Sandra Mara Herzer, e também dar voz ao movimento que acontece agora de cada vez mais escritoras Lésbicas assumidas e explícitas.

Elas vão falar daquelas escritoras que ousaram publicar sem pseudônimo histórias livres de preconceito, como Valéria Melki Busin, Fátima Mesquita, Lúcia Facco e Vange Leonel, as editoras que abriram espaço para este movimento, como Edições GLS, Brasiliense, Record e Editora Malagueta.

Também discutirão sobre a explosão de sites com espaço para publicação de textos de Lésbicas, como Xana In Box, Fator X, abcLES, Parada Lésbica, Dykerama, Livre Arbítrio...

Dentre as participantes estarão: Karina Dias e Mariana Cortez, as próximas autoras da Malagueta; as poetisas Fênix e Luka Azull; Érika Cristina, a idealizadora do site Livre Arbítrio; e Laura Bacellar, editora responsável pela Malagueta.

Para completar, Hanna Korich (a Sarah Bernard das leituras dramáticas Lésbicas) vai interpretar os trechos mais apimentados e provocantes dos livros.

Mais Informações:

Telefone: (11) 3170 4033
http://www.livrearbitrio.net
http://www.editoramalagueta.com.br

Pastores Gays falam sobre seu casamento em programa de TV

Fábio de Souza e Marcos Gladstone

Os pastores Gays Fábio de Souza, 30, e Marcos Gladstone, 33, foram ao programa "Manhã Maior", da Rede TV!, para falar um pouco mais sobre seu casamento, que acontecerá no dia 20 de novembro, no Rio de Janeiro.

O apresentador Arthur Veríssimo, logo de inicio, questionou sobre como os noivos lidam com o preconceito, visto que sofrem em dobro, por serem evangélicos e Gays.

"Primeiramente gostaria de dizer que tenho orgulho de ser Homossexual. Muitos de nós não temos um lugar para nos congregar, uma igreja. Se o Homossexual vai numa igreja tradicional vai ser banido, por isso abrimos nossa igreja (Igreja Cristã Contemporânea), que cresceu por causa do nosso amor", disse Marcos.

Já o pastor Fábio contou que por muitos anos foi pastor de outra igreja, que não aceitava sua Homossexualidade. "Lá eu me sentia diferente, por isso decidi sair. Desde criança já sabia que era Gay, e tentei de varias maneiras me livrar disso, mas não consegui porque deus me fez assim".

O programa contou ainda com a presença do jornalista Felipeh Campos, que se casou em abril de 2008 em uma cerimônia religiosa. Felipeh afirmou que a união dos pastores é uma forma de derrubar o preconceito.

Recife leva campanha Gay Friendly para festival turístico


O Recife Convention & Visitors Bureau, órgão que promove o turismo na capital pernambucana, levará um projeto de Temática Gay para o 21º Festival de Turismo de Gramado.

O evento será realizado nos dias 20 e 21 de novembro e os pernambucanos deverão apresentar detalhes da campanha "Friendly GLBT. Pernambuco simpatiza com você", que funciona desde 2008.

"O turismo GLBT é um dos segmentos que mais crescem no mundo. No Brasil, o mercado está em verdadeira expansão", afirmou José Otávio de Meira Lins, presidente do órgão turístico do Recife.

Durante o Festival de Gramado será distribuído o Guia da Diversidade, que reúne informações sobre estabelecimentos Gay Friendly do Recife.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails