23 de janeiro de 2015

Fernanda Montenegro e Nathalia Timberg formam casal Lésbico em novela das 9h

Nathalia Timberg e Fernanda Montenegro gravando cena da novela

As veteranas Fernanda Montenegro e Nathalia Timberg voltam às telinhas em Babilônia, a próxima novela das nove da Globo, com papéis maravilhosos. As atrizes irão interpretar um casal Lésbico que após 40 anos de união decidem se casar.

O novo galã da TV Globo, que chamou atenção de um número expressivo de fãs após sua aparição em alguns capítulos da novela Império, Chay Suede, irá interpretar um rapaz da Zona Sul do Rio, filho do casal Lésbico interpretado por Nathalia Timberg Fernanda Montenegro.

Questionada a possibilidade de beijo Gay, Nathalia Timberg afirma “Apesar de muito banalizado e vulgarizado, o amor é uma coisa bonita (...) Nosso objetivo é mostrar para as pessoas o lado humano do amor e não esse amor de agora onde as pessoas resolveram levar suas camas para os jornais” conclui a atriz em entrevista durante evento no Rio.

Já a atriz Fernanda Montegro, também se posicionou a favor da temática "Todas as novelas estão com essa temática. Faz parte da sociedade, do ser humano. Foi um ganho. Penso que esse assunto não vai mais deixar de existir assim,como o amor heterossexual", afirmou.

A partir de agora, todas as novelas produzidas pela emissora terão um núcleo Gay que vai contemplar e espelhar a diversidade que encontramos todos os dias na sociedade. Nada mais natural e já esperado.

Escrita por Gilberto Braga, Ricardo Linhares e João Ximenes BragaBabilônia tem direção geral e de núcleo de Dennis Carvalho e direção geral de Maria de Médicis. A estreia está prevista para março de 2015.

Pediatra gato do SUS arrasa corações nas redes sociais

O médico é um super gato e adora fazer selfies

Luiz Eduardo Oliveira é médico pediatra do SUS, no serviço público de saúde do Rio de Janeiro. Ele adora crianças e cuida muito bem da saúde dos pequenos.

Também conhecido como Goiano, ultimamente ele tem chamado muito a atenção daqueles que levam o filho para consultar ou que topam com seu perfil nas redes sociais.

Tocar violão, andar de carro e curtir uma praia estão entre as atividades favoritas do pediatra. Tirar selfies e postar as fotos na net também virou uma paixão.

O médico é tão lindo e simpático que já tem uma legião de seguidores nas redes sociais.  Agora ele passou a ser chamado pelos fãs de pediatra gato do SUS.

Acho que tá me dando uma febrinha...

Joalheria usa casal Gay em anúncio de alianças

Casal Gay na vida real vira estrela de campanha

A joalheria Tiffany & Co. lançou uma campanha de alianças feita por um Casal Gay. No anúncio, dois homens aparecem sentados juntos em uma escadaria, com as mãos dadas. O fotógrafo Peter Lindbergh foi o responsável pelas fotos da campanha intitulada "Will You?" (Você aceita?).

A peça publicitária vem com uma frase, que diz "Você promete nunca parar de completar minhas frases ou cantar fora do tom, coisa que eu receio que você faça sempre? Será que você vai permitir que o dia de hoje seja a primeira frase de uma longa história de amor que nunca acaba?".

Linda Buckley, representante da Tiffany & Co., disse que o casal foi escolhido porque namora na vida real. "O caminho até o casamento não é mais linear. O amor  pode acontecer mais de uma vez, de várias formas", declarou.

5 de janeiro de 2015

Jornal Hoje mostra Transexual que é amada pelos pais

Alessandra recebendo o carinho de seus pais

O Jornal Hoje conta agora uma história sobre a tolerância, sobre a capacidade de aceitar a diversidade, as diferenças. É a história de uma família que soube conviver com uma transformação radical.

Quem vê a filha com os pais não imagina como foi difícil chegar até aqui. Alessandra, a Leca, nasceu Alexandre. Quando tinha 18 anos, contou para os pais que era Gay. 

Surpresa não foi. "Eu não queria acreditar, mas fingia que não via", conta a aposentada Wilma Azevedo.

"Quando eu contei pra minha mãe eu tava com 18 anos e já trabalhava, eu sempre pensava: se eles não me aceitarem eu vou morar fora de casa.Tudo deu certo, agi naturalmente", diz a cabeleireira Alessandra Azevedo.

Para muita gente é difícil aceitar quem é diferente. Quem tem orientação sexual diferente, quem torce para time diferente, quem gosta de coisas diferentes.

Aceitar as diferenças significa entender que o mundo não é formado pelo nosso reflexo. Aceitar é ser tolerante, é ter respeito pelo outro e essa atitude só faz  bem tanto para o indivíduo quanto para a sociedade. Ser tolerante significa ter paciência, saber ouvir e pensar mais antes de agir.

"Tolerância é algo que permite que as pessoas sejam mais ouvidas ao longo do tempo e permite que pessoas errem menos. Capacidade de aceitar diferença, direitos do outro é primeiro importante para a vida pessoal, porque todos vão ter experiências diferentes, vão ter amigos, familiares com jeitos diferentes", explica Fernando Abrúcio, cientista político.

"É bom ser tolerante. A intolerância é a não-aceitação da pessoa do jeito que ela é, imaginando que o único modo de ser é como eu sou. Todo intolerante é tolo ao não ver a diversidade humana na sua exuberância", analisa o filósofo Mário Sérgio Cortella.

Mais do que tolice e fraqueza, a intolerância pode ser um crime. No ano que passou, há muitos comentários preconceituosos e homofóbicos feitos na internet foram parar na Justiça.

As denúncias aumentaram tanto que foi criado um grupo só pra investigar esses crimes de ódio. E cuidado. Na internet nada é passageiro.

"Tudo o que é publicado na internet permanece para sempre, se torna eterno. Dificilmente você vai conseguir remover 100% alguma postagem que foi feita na internet, porque ela se difunde muito rápido", afirma Gisele Arantes, advogada especialista em direito digital.

"Uma vez que você postou algum conteúdo ali, você perde o controle daquilo, porque as pessoas que tiveram acesso, elas podem ter copiado, podem ter repassado, podem ter gravado em alguma mídia. enfim, tudo permanece. Pode acontecer o crime de ódio, no caso se for um comentário que caracterize um preconceito, o crime de ódio ela responderia pela Lei 7.716, podendo pegar até cinco anos de prisão", completa Gisele Arantes.

A Leca hoje é uma vitoriosa. Para os pais, aceitar só fez bem. "É a vida, não adianta ficar contra ela. Ela optou e o amor é o mesmo", conta o pai Antônio Carlos Azevedo.

"Aceitei. Aceitei porque uma mãe que é mãe quer o bem dos filhos, aceitei porque eu amo", fala a aposentada Wilma Azevedo. "Vou ser sincera para você. Não é que eu quero puxar não... Mas essa aqui, não tem outra coisa melhor. Acho que ela é muito melhor sendo mulher do que quando era homem".

Escócia celebra seus primeiros Casamentos Gays

Malcolm Brown e Joe Schofield se casaram no primeiro dia da Lei

O Casamento Homossexual foi legalizado na Escócia desde esta quarta-feira (31) às 00h01, hora em que dois casais escolheram para se casar no país.

A Escócia segue assim a Inglaterra e o País de Gales, onde os primeiros Casamentos Gays foram celebrados no dia 29 de março do ano passado. A Irlanda do Norte, muito dividida sobre o assunto, é agora a única das quatro regiões do Reino Unido onde esse tipo de união ainda não é permitida.

Vestidos com kilts, Malcolm Brown e Joe Schofield, ambos de 42 anos, chegaram à sala de cerimônias ao som de uma gaita e começaram as formalidades do casamento quando chegou a meia-noite.

"Vamos seguir com nossas vidas, mas agora posso dizer com prazer: 'é meu marido'. É genial", declarou Malcolm Brown à BBC.

Outro casal feliz, Susan Douglas-Scott, de 54 anos, e Gerrie Douglas-Scott, de 59, também disse o sim nesta madrugada, tendo a primeira-ministra escocesa Nicola Sturgeon como testemunha.

"É um dia memorável para a igualdade na Escócia, o dia em que casais do mesmo sexo têm o direito a se casar com a pessoa que amam", comemorou Sturgeon.

A cada ano, muitos outros países estão aprovando o Casamento Gay e entrando para a lista de países civilizados.

31 de dezembro de 2014

Rede de fast food elogia propaganda Gay que não foi feita por ela

Casal Gay fez propaganda bem sucedida da Taco Bell

A rede de fast food Taco Bell ficou surpresa com um anúncio de sua marca protagonizado por um casal Gay e que não foi feito por ela.

Na propaganda, que caiu na internet na semana passada, dois homens aparecem em momentos fofos, como abraçados num parque, se divertindo numa roda gigante e se casando.

A empresa afirmou que não é responsável pelo filme, mas gostou tanto da qualidade do anúncio que quer conhecer os responsáveis para futuros trabalhos juntos.

Um exemplo a ser seguido pelas outras empresas.

27 de dezembro de 2014

14 grandes empresas assinaram compromissos com os direitos LGBTs

Cada vez mais empresas assumem o compromisso de respeitar os LGBTs

No último dia 10 de dezembro, 14 empresas confirmaram o seu engajamento com a promoção dos direitos humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT).

Durante o 8º Fórum de Empresas e Direitos LGBT, Carrefour, IBM, P&G, Accenture, Basf, Caixa, HSBC, GE, DuPont, Dow, PwC, Pfizer, Whirlpool e Monsanto assinaram os “10 Compromissos da Empresa com a Promoção dos Direitos LGBT”.

A iniciativa tem como objetivos aprimorar as práticas de gestão das empresas e influenciar o meio empresarial e a sociedade para a adoção de práticas de respeito aos direitos humanos LGBT.

A adesão de grandes empresas a esses compromissos mostra que a promoção dos direitos humanos LGBT está caminhando. Esta é a avaliação de Paulo Pianez, diretor de Sustentabilidade e Diversidade do Carrefour Brasil, que sediou a oitava edição do fórum.

“A atuação articulada do setor privado é essencial para fortalecer e aprimorar as práticas de cada empresa e do conjunto das que atuam no Brasil, fortalecendo a construção de um ambiente empresarial socialmente responsável, ético, moderno e sustentável”, ressalta.

Durante o evento, Gabriela Santos, coordenadora de Políticas Públicas do Instituto Ethos, falou sobre a nova edição da pesquisa Perfil Social, Racial e de Gênero das 500 Maiores Empresas do Brasil e Suas Ações Afirmativas, que o Instituto está desenvolvendo e vai lançar em 2015.

Publicado periodicamente desde 2001, o estudo vai analisar pela primeira vez se as empresas possuem políticas internas que contemplem pessoas com diferentes orientações sexuais.

Conheça os 10 Compromissos da Empresa com a Promoção dos Direitos LGBT:

01) Comprometer-se, presidência e executivos, com o respeito e com a promoção dos direitos LGBT;
02) Promover igualdade de oportunidades e tratamento justo às pessoas LGBT;
03) Promover ambiente respeitoso, seguro e saudável para as pessoas LGBT;
04) Sensibilizar e educar para o respeito aos direitos LGBT;
05) Estimular e apoiar a criação de grupos de afinidade LGBT;
06) Promover o respeito aos direitos LGBT na comunicação e marketing;
07) Promover o respeito aos direitos LGBT no planejamento de produtos, serviços e atendimento aos clientes;
08) Promover ações de desenvolvimento profissional de pessoas do segmento LGBT;
09) Promover o desenvolvimento econômico e social das pessoas LGBT na cadeia de valor;
10)Promover e apoiar ações em prol dos direitos LGBT na comunidade.

23 de dezembro de 2014

Cantor do N'Sync se casa com seu noivo Michael Turchin

Michael Turchin nos braços de seu marido Lance Bass

Lance Bass, ex integrante do N'SYNC, grupo que lançou Justin Timberlake, se casou com o namorado Michael Turchin no último sábado, 20/12.

A cerimônia aconteceu em um hotel de Los Angeles e contou com a presença de família e amigos, incluindo alguns companheiros do grupo, como Joey Fatone, Chris Kirkpatrick e JC Chasez (não se sabe se Timberlake não foi convidado ou não pôde ir).

"Nós nos amamos muito", disse Lance em entrevista para a People Magazine. Seu marido Michael também comentou: "Não há ninguém no mundo que me faça rir tanto quanto Lance. Ele é uma pessoa muito incrível. Não poderia imaginar acordar ao lado de mais ninguém"

O casal está junto desde 2011.

22 de dezembro de 2014

Elton John se casa com seu marido David Furnish após 21 anos de união

Elton John recebendo a aliança de seu marido David Furnish

O músico britânico Elton John casou-se neste domingo com seu parceiro de longa data, após a entrada em vigor em março deste ano da lei que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo no país.

O músico, um dos mais proeminentes e uma celebridade Gay, anunciou o casamento ao publicar um convite na rede social Instagram.

"Sir Elton John e David Furnish solicitam o prazer de sua companhia para celebrar seu casamento no domingo, dia 21 de dezembro", diz o convite.

Depois, John e Furnish postaram fotos do casamento, incluindo a troca de votos e o menu, que incluía costela e torta de cebola caramelizada, além do bolo.

Eles já tinham assinado uma união civil há 9 anos atrás, em 2005. Mas somente agora puderam se casar oficialmente.

John tem usado com frequência o seu status no mundo musical para fazer declarações sobre a igualdade para lésbicas, gays, bissexuais e transexuais.

O primeiro-ministro David Cameron trabalhou pela mudança das leis britânicas no ano passado. As alterações entraram em vigor em março, para permitir o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Casais Gays eram permitidos desde 2005 a constituir o equivalente a união civil, o que conferia alguns direitos legais semelhantes aos do casamento. Ativistas, no entanto, argumentavam que a distinção dava a impressão de que a sociedade considerava as relações Gays inferiores.

20 de dezembro de 2014

Porque uma mãe tem que explicar para todo mundo que seu filho de 10 anos é Gay

Dançarino de Zumba

A escola de nossos filhos mandou uma lista de atividades extracurriculares disponíveis aos estudantes. Meu marido sentou-se com nossos dois filhos que frequentam a escola elementar. O terceiro ainda não vai à escola.

Eles poderiam escolher qualquer atividade. Nosso filho do meio, que está na 2ª série este ano e é um adorável nerd, escolheu os jogos de tabuleiro.

Nosso filho mais velho, hoje na 4ª série, escolheu Zumba. Ele geralmente escolhe esportes antes de qualquer coisa, mas preferiu o exercício baseado em dança que é Zumba.

Conforme o semestre avançava, ambos desfrutavam de seus clubes, mas a opção do mais velho quase sempre recebia a mesma reação, algo como: "Ele é esperto. Aposto que é o único menino lá, e pode escolher a garota que quiser".

A primeira vez que isso aconteceu fiquei chocada, porque eu nunca tinha pensado dessa forma.

Em nossa casa não seguimos exatamente os papéis tradicionais de gênero. Meu marido é um pai que fica em casa e faz todo o trabalho doméstico e cozinha; sou eu quem trabalha fora de casa em tempo integral.

Temos três filhos e eles têm liberdade para brincarem como quiserem. Não importa que não seja tradicionalmente masculino.

Apesar disso, nosso filho mais velho é um estereótipo de menino. Ele adora esportes, videogames, ninjas. Nós consideramos cantar e dançar uma coisa divertida para todo mundo.

"Quantos meninos estão na Zumba?", perguntei ao meu garoto.

"Só eu", ele respondeu sem hesitar.

"E isso o incomoda?"

"Não", disse ele com um gesto de ombro. "É divertido."

Mas aquela reação das outras pessoas continuavam acontecendo. E isso me incomodava. Meu filho mais velho é Gay. Sim, ele está na quarta série, mas ele já se identifica como Gay desde o início da primeira. Ele não vai mudar isso

Todos os nossos amigos próximos e parentes sabem que nosso filho é Gay, mas muitas outras pessoas ainda não sabiam e essa ideia de paquerador de meninas que eles tinham sobre meu filho me incomodava.

Nunca deixo de me incomodar quando as pessoas automaticamente supõem que ele seja hétero. Fico tão incomodada que comecei a corrigir as pessoas.


"Não", digo, "ele não se interessa por meninas. Ele é Gay. Ele diz que as garotas são suas amigas."


Então veio a reação, e quase sempre a mesma: "É mesmo? Como ele pode saber isso? Ele é tão jovem..."


Essas pessoas não viam a contradição em suas palavras. Elas supunham que meu filho tivesse escolhido a Zumba para paquerar as meninas, mas depois elas diziam que ele era jovem demais para saber que gosta de meninos.

Como se um menino de 10 anos saber que é hétero fosse normal, mas não pudesse saber que é Gay com essa idade..

Mas as suposições são perigosas. Esta, em particular, indica para meu filho que há algo errado no fato de ele ser Gay. E não há. Ele deve ser exatamente quem ele é.

Meu filho já teve várias paixões de pré-adolescente. Sua paixão mais longa foi pelo Blaine, do Glee, mas Blaine está sendo rapidamente suplantado pelo Barry, do The Flash.

Lembro-me de minha primeira paixão. Era um amigo de um dos meus tios, que todos chamavam de "Big Mike". Acho que eu tinha 6 ou 7 anos e o seguia por toda parte. Mas não era sexual. Eu apenas sabia que queria estar perto dele e que ele prestasse atenção em mim.

Desde que fiz essa conexão, olhei de uma nova maneira para meu filho, o modo como ele fica vermelho quando fala de um menino de quem gosta. Ele está descobrindo do que gosta, assim como eu fiz.

Antigamente, os meninos Gays não tinham a oportunidade de ser criados sem homofobia e tinham que manter suas paixões em segredo. Meu filho não tem um segredo. Ele apenas é ele mesmo e está ótimo assim.

Acho que é importante eu me manifestar, corrigir as pessoas explicitamente quando elas assumem que meu filho é hétero. Preciso dizer claramente: "Não, isso não descreve meu filho".

Porque as crianças não se tornam Gays por mágica. A orientação sexual é algo mais profundo, é algo lindo. Não há nada de errado com isso. Eu amo meus filhos incondicionalmente e quero que todos sejam felizes com quem escolherem se casar.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails